Amor Vincit Omnia: “O amor conquista tudo”

Artes, Curiosidades, Frases Famosas, Idade Moderna, Pinturas, Século XVII Amor Vincit Omnia: “O amor conquista tudo”
* Por Italo Magno


Amor Vincit Omnia, obra de Caravaggio

A obra Amor Vincit Omnia, traduzida do latim para o português como “O amor conquista tudo”, é uma pintura realizada nos anos de 1601 e 1602 pelo pintor italiano Caravaggio.

Amor Vincit Omnia

O título da obra é uma referência a um verso das Éclogas: “Omnia Vincit Amor et nos cedamus amori” (“O amor vence tudo, vamos todos nos render ao amor!”). Também chamadas de Bucólicas, foi o primeiro dos três maiores trabalhos do poeta latino Virgílio, que viveu entre 70 a.C e 19 a.C.

No quadro, o deus do amor romano Cupido, é retratado com uma criança dotada de asas escuras de águia e, enquanto se apoia em uma mesa, objetos se encontram espalhados no chão, incluindo violino e alaúde, armadura, coroa, esquadro e compasso, caneta e manuscrito e folhas de louro. Tais objetos são apontados como sendo uma referência codificada para as conquistas do marquês Vincenzo Giustiniani, aristocrata italiano e um dos principais patrocinadores de Caravaggio.

A família genovesa de Giustiniani governou a ilha grega de Chios até a sua captura pelos turcos em 1622 (presença da coroa na pintura); o marquês também escreveu sobre música e arte (caneta, manuscritos e instrumentos musicais), foi responsável pela construção de um novo palácio imponente (instrumentos geométricos), estudou astronomia (esfera astral) e foi elogiado por suas proezas militares (armadura).

A imagem Amor Vincit Omnia permaneceu na coleção da família Giustiniani até 1812, quando foi adquirida pelo negociante de arte Féréol Bonnemaison e posteriormente vendida em 1815 ao rei da Prússia, Frederick William III, onde passou a ficar exposta em museus de de Berlim.

Referências:
Virgil (70 BC – 19 BC), Eclogue X, line 69
Catherine Puglisi, Caravaggio, Phaidon, London/New York, 1998. ISBN 0-7148-3966-3
The Metropolitan Museum of Art (1985). The Age of Caravaggio. New York: The Metropolitan Museum of Art. p. 281. ISBN 0870993801.