A caça ilegal de rinocerontes

Atualidades, Século XX A caça ilegal de rinocerontes
* Por Italo Magno


A caça ilegal de rinocerontes. Rhino Wars.

Uma equipe de anti-caçadores de rinocerontes selvagens observa e protege um rinoceronte-branco-do-norte, durante um período de vigilância de 24 horas, em Ol Pejeta Conservancy, no Quênia.

A caça ilegal de rinocerontes na África

O parque Ol Pejeta Conservancy é habitat de quatro dos oito rinocerontes-brancos-do-norte que ainda existem, sendo a espécie mais ameaçada do mundo. Os chifres dos animais são retirados, na tentativa de desencorajar possíveis caçadores. Apesar da caça de rinos ser ilegal a nível mundial, a sua demanda aumentou vertiginosamente depois que uma classe média/rica disposta a pagar o preço pela mercadoria se ascendeu na Ásia. Somente a África do Sul perdeu mais de 400 rinocerontes para a caça ilegal somente em 2011. Estimam-se que restam apenas 16.000 rinocerontes no mundo. O chifre do rinoceronte é usado principalmente como medicamento antitérmico e antitoxina, em uma prática que é realizada há muitos séculos. Autoridades são muitas vezes subornadas para não coibirem o comércio ilegal e o uso de chifre de rinoceronte.

No Vietnã, onde um ministro sênior do governo afirmou que o chifre do rinoceronte curou seu câncer, 100g do chifre são vendidos por até 1.865 euros a população local e por até 6.340 para compradores estrangeiros. Vez que o corno de rinoceronte vale mais do que o ouro, os animais se tornam alvo de caçadores.

Foto: Rhino wars. Brent Stirton. National Geographic. 13 de Julho de 2011.