Marina Ginesta, ícone da Guerra Civil Espanhola

Guerras, Imagens Históricas, Personalidades, Século XX Marina Ginesta, ícone da Guerra Civil Espanhola
* Por Eudes Bezerra



Marina Ginesta no último piso do Hotel Colón Barcelona em 21 de julho de 1936, durante a Guerra Civil Espanhola. Fotografia: Juan Guzmán (Hans Gutmann).

Marina Ginesta no último piso do Hotel Colón Barcelona em 21 de julho de 1936, durante a Guerra Civil Espanhola. Fotografia: Juan Guzmán (Hans Gutmann).

O ar da juventude idealista contrastando com a terrível realidade da época se tornou uma fonte de inspiração no mundo todo, onde o Nazifascismo ameaçava a humanidade com guerra e destruição. Marina, com apenas 17 anos, impõe-se serenamente vestindo um macacão com as mangas da camisa enroladas, um rifle pendurado no ombro e um olhar bem focado nas lentes do fotógrafo. Seu singelo sorriso consegue transmitir tranquilidade, vontade e um pouco de ironia, ao passo que seu cabelo é elegantemente chicoteado pelo vento. Marina, neste belo dia Verão, parecia convidar homens e mulheres à luta…

A fotografia é um dos registros mais simbólicos da Guerra Civil Espanhola (1936–1939), onde a jovem guerrilheira Marina Ginesta dispara seu olhar aparentemente calmo nos primeiros dias do conflito. Amplamente considerada uma obra-prima, a imagem teve sua cristalização realizada por Juan Guzmán (Hans Gutmann) no último piso do Hotel Colón Barcelona, em Barcelona, na Espanha, em 21 de julho de 1936.

Décadas mais tarde, Marina teria dito a respeito da época:

A juventude, a vontade de vencer, levei isso a sério. Acreditávamos que, se resistíssemos, ganharíamos a guerra.

A simplicidade da foto ainda hoje é capaz de suscitar fortes emoções de um período em que o mundo se preparava para o mais sombrio evento da história, a Segunda Guerra Mundial (1939–1945). “A Guerra Civil Espanhola foi um conflito travado entre os nacionalistas comandados pelo general Franco (apoiado pelos nazifascistas) e os governistas republicanos do socialista Caballero (apoiado pela URSS); dentre os interesses das nações estrangeiras, entretanto, encontrava-se também a oportunidade de testes práticos para novas estratégias, manobras e armas de guerra[, que seriam largamente utilizadas na Segunda Grande Guerra (1939–1945)].” (BEZERRA, 2016, s/p, acréscimo nosso)

Hotel Colón Barcelona em 1916. Fotografia: autor desconhecido.

Hotel Colón Barcelona em 1916. Fotografia: autor desconhecido.

Marina Ginesta Coloma nasceu em 29 de janeiro de 1919 em Toulouse, na França, mudou-se para Barcelona com seus pais aos 11 anos e poucos anos depois se filiou ao Partido Socialista Unificado da Catalunha. Exerceu as funções de jornalista e tradutora para o correspondente soviético do Jornal Pravda, Mikhail Koltsov.

Na ocasião da foto, o fotógrafo Hans Gutmann solicitou que Marina fizesse algumas fotos preparada para guerra que acabara de ser iniciada, mas não imaginava a tamanha repercussão que seu registro causaria, ao ponto de se tornar um ícone da época. Marina Ginesta sobreviveu à guerra, vindo a falecer somente em 6 de janeiro de 2014, em Paris, na França. Contava 94 anos de idade.

Marina Ginesta em 2008, com uma cópia da icônica foto dela tirada durante a Guerra Civil Espanhola. Fotografia: Agência EFE / REX.

Marina Ginesta em 2008, com uma cópia da icônica foto dela tirada durante a Guerra Civil Espanhola. Fotografia: Agência EFE / REX.

REFERÊNCIAS:
BEZERRA, Eudes. Asas de aço e fogo sobre a Terra: a poderosa Legião Condor. Acesso em: 9 mar. 2016.
BUADES, Josep M. A Guerra Civil Espanhola. São Paulo: Contexto, 2013.
Telegraph. Marina Ginestà – obituary. Acesso em: 9 mar. 2016.
IMAGEM(NS):
A equipe do Museu de Imagens buscou informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato.


Siga o Museu de Imagens no Facebook!

Fique por dentro de todas as postagens e imagens ao seguir nosso perfil do Facebook. O seu apoio é muito importante para a manutenção e crescimento do projeto. Obrigado.

FECHAR