A múmia de 700 anos da dinastia Ming

Arqueologia, Curiosidades, Idade Média A múmia de 700 anos da dinastia Ming
* Por Talita Lopes Cavalcante


Múmia com mais de 700 anos, da Dinastia Ming. Foto: Barcroft

Em 2011, o Museu de Taizhou apresentou ao mundo a descoberta de uma múmia em excelente estado de conservação. Com quase 700 anos, a múmia provavelmente, é originária da época da Dinastia Ming, que governou a China entre os anos de 1368 a 1644.

Descoberta na cidade de Taizhou enquanto trabalhadores realizavam a ampliação de uma estrada, a múmia conserva boa parte de seus traços faciais, como é possível observar na foto. Ela foi encontrada muito bem lacrada dentro de um sarcófago de pedra e encontrava-se imersa em um líquido marrom. Suas roupas, feitas de seda e algodão, encontravam-se muito bem preservadas e a mulher, de 1,50 metros, ainda usava um anel e outros utensílios, demonstrando seu status social à época.

Por muito tempo, os arqueólogos e especialistas chineses não souberam como preservar suas múmias, tanto que aquelas encontradas entre os anos de 70 e 80 acabaram se perdendo. Após as diversas descobertas arqueológicas, os museus chineses iniciaram uma ampliação dos estudos e técnicas de preservação; graças a isso, hoje as múmias recentemente descobertas tem a possibilidade de serem melhores preservadas. A múmia de Taizhou agora será estudada para que especialistas e historiadores ampliem o conhecimento a respeito da época da Dinastia Ming e depois poderá ser conservada e preservada para a história.

*Durante o governo da Dinastia Ming, foi formado um exército com mais de um milhão de soldados e a Marinha chinesa foi solidificada. Foi durante essa época que grandes projetos como a Cidade Proibida e a Muralha da China foram pensados.

Referência:
The Telegraph