Os testes nucleares

Armas Históricas, Curiosidades, Século XX Os testes nucleares
* Por Talita Lopes Cavalcante


Teste nuclear: bomba atômica detonada mp atol de Bikini, 1946. Foto: University of Texas at Austin Collection. ID: NYJA0002.

Teste nuclear: bomba atômica detonada mp atol de Bikini, 1946. Foto: University of Texas at Austin Collection. ID: NYJA0002.

Um dos símbolos marcantes da Guerra Fria (1945 – 1991) foram os testes nucleares em solo norte-americano. Desenvolvidas no contexto dos anos finais da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), as armas atômicas foram primeiramente testadas pelas forças armadas norte-americanas no Novo México em julho de 1945, sob a égide do Projeto Manhattan. Ainda que o governo norte-americano tenha lançado as bombas em Hiroshima (6 de agosto de 1945) e Nagasaki (9 de agosto de 1945) com o objetivo de encerrar a guerra e mostrar seu poderio militar à URSS, os efeitos destes testes nucleares sobre o ambiente ainda eram largamente desconhecidos em longo prazo.

Os testes nucleares

Imersos no contexto da Guerra Fria, os motivos para a execução destas experiências com armas atômicas foram além de demonstrações enfáticas do poderio militar norte-americano diante da União Soviética. Muitas vezes, estes testes foram utilizados para verificar e dimensionar os efeitos destrutivos das armas em diversos ambientes. Para tanto, as forças armadas norte-americanas chegaram nesta época não só a isolar áreas rurais, como até mesmo edificar cidades cenográficas inteiras para medir os impactos deste armamento.

Ao longo da década de 1950, o governo também passou a delimitar uma região específica para a realização destas pesquisas. Além de ilhas de sua posse no Oceano Pacífico, áreas rurais do Estado de Nevada passaram a ser campos de pesquisas não só para estes armamentos, como também para novas armas de destruição em massa então recém-desenvolvidas, como as bombas de hidrogênio. Contudo, durante a década de 1960, os níveis de radiação e os efeitos danosos dos experimentos começaram a preocupar não só cientistas em solo norte-americano, como igualmente de muitos outros países. O resultado desta preocupação foi a confecção do Partial Test Ban Treaty (1963) pelas potências nucleares de então, um tratado que permitia apenas testes subterrâneos para este tipo de armamento.

Após esse primeiro acordo, muitos outros se seguiram visando reduzir e eliminar a utilização de armas nucleares em testes para fins científicos e militares. Os efeitos da radiação causada por esses estudos são sentidos até hoje tanto por habitantes que à época moravam nos entornos das localidades destes testes quanto por militares que deles participaram, sendo que muitas das vítimas até os dias atuais recebem indenizações pelos danos sofridos.

Fotógrafos técnicos tirando fotos do teste com bombas atômicas em Yacca Flats, Nevada, 1955. Foto: University of Texas at Austin Collection. ID: NYJA000295.

Fotógrafos técnicos tirando fotos do teste com bombas atômicas em Yacca Flats, Nevada, 1955. Foto: University of Texas at Austin Collection. ID: NYJA000295.

Bomba atômica em Nevada, 1951.

Bomba atômica em Nevada, 1951.

Mãe e filho assistem a explosão de uma bomba atômica de longe no deserto de Nevada. Foto: LIFE Magazine.

Mãe e filho assistem a explosão de uma bomba atômica de longe no deserto de Nevada. Foto: LIFE Magazine.

Bonecos utilizados para verificar o efeito das armas nucleares em cidades. Foto: Loomis Dean/Life Magazine

Bonecos utilizados para verificar o efeito das armas nucleares em cidades. Foto: Loomis Dean/Life Magazine

A fotografia da Força Aérea dos Estados Unidos dá uma vista aérea da explosão da bomba atômica submarina no atol de Bikini. Foto: University of Texas in Austin. ID: NYJA000315

A fotografia da Força Aérea dos Estados Unidos dá uma vista aérea da explosão da bomba atômica submarina no atol de Bikini. Foto: University of Texas in Austin. ID: NYJA000315

 Referências:
JOHNSON, Abby A. U.S. Nuclear testing form Project Trinity to the Plowshare Program. Defense Nuclear Agency, 1986.
Fotos: University of Texas at Austin Collection.