O discurso de João Paulo II em Varsóvia, Polônia, 1979

Personalidades, Política, Religião, Século XX O discurso de João Paulo II em Varsóvia, Polônia, 1979
* Por Italo Magno


Discurso de João Paulo II em Varsóvia, Polônia, 1979

João Paulo II discursa para mais de meio milhão de poloneses na Praça da Vitória no dia 2 de junho de 1979.

A primeira metade do pontificado do papa João Paulo II ficou marcada pela luta contra o comunismo na Polônia e nos países do Leste Europeu e do mundo.

O Discurso do Papa João Paulo II

Muitos poloneses consideram que o marco inicial da derrocada comunista foi o discurso de João Paulo II em 2 de Junho de 1979, quando falou a meio milhão de compatriotas em Varsóvia e destacou o trabalho do Solidarność (em português Solidariedade), primeiro movimento sindical não-comunista em um país comunista. Nos anos 1980 o Solidariedade constituiu um amplo movimento social anti-comunista. O avião de João Paulo II decolou de Roma em direção à Varsóvia no dia 2 de junho de 1979. Todas as igrejas da Polônia tocaram seus sinos em sinal de boas-vindas ao pontífice. João Paulo, ao desembarcar, ajoelhou-se e beijou o solo polonês. Foi recebido por Henryk Jablonski, chefe do Conselho de Estado da Polónia pelo Partido Operário Unificado Polaco, e pelo cardeal polônes Stefan Wyszynski.

Chegou as 16 horas à Praça da Vitória – lugar da primeira Santa Missa celebrada pelo Papa João Paulo II. Em sua homilia, foi ovacionado pela população e terminou seu discurso com as seguintes palavras: “E eu choro – eu que sou um filho da terra da Polônia e que sou também o Papa João Paulo II – Eu choro de todas os abismos deste milênio, eu choro na vigília de Pentecostes: deixe o seu Espírito descer! Deixe o seu Espírito descer! E renovai a face da terra. A face desta terra!”

Papa João Paulo II na Polônia durante missa na cidade de Czestochowa, junho de 1979. PAP.

A primeira peregrinação do Papa João Paulo II na Polônia deu origem a uma transformação política. Esperava-se que o “bispo rebelde de Roma” reacendesse as aspirações de liberdade dos poloneses. João Paulo II chegou a ser comparado com São Estanislau, ex-bispo de Cracóvia, santo e mártir da Igreja Católica, morto por desobediência à autoridade civil no ano de 1079.

“Sem o discurso de Wojtyla, o cenário teria sido diferente. O Solidariedade e o povo não teriam se sentido fortes e unidos para levar a luta adiante”, acredita o escritor e jornalista Mieczylaw Czuma. “Foi o papa que nos disse para não ter medo.” Dez anos depois, as eleições de 4 de Junho de 1989 foram uma “revolução sem sangue” e encorajaram outros países do bloco comunista a se libertarem de Moscou. A data tornou-se simbólica como o fim do socialismo real. O movimento sindical Solidariedade, liderado por Lech Walesa, obteve a vitória nas primeiras eleições parcialmente livres de todo o bloco comunista.

Praça Vitória - Varsovia, 2012.

Praça “Vitória” (Victory Square ou Plac Marszałka Józefa Piłsudskiego) – Inscrição encontrada sob os pés da cruz na Praça Vitória, em Varsóvia.  Foto: Italo Magno Jau. 2012.

Niech zstąpi Duch Twój! Niech zstąpi Duch Twój! I odnowi oblicze ziemi. Tej ziemi! Amen. (Deixe o seu Espírito descer! Deixe o seu Espírito descer! E renovai a face da terra. A face desta terra!”). Foto: Italo Magno Jau. 2012.

Referências:
Wpolityce.pl
Gianni Carta. “O ano em que a cortina caiu”, Carta Capital, número 549, 10 de Junho de 2009.
Warsaw Uprising Museum (Warsaw Rising Museum, Muzeum Powstania Warszawskiego). Visitado em Julho de 2012.
Papa João Paulo II. Wiki.
Afrodisíacos