O pão carbonizado de Pompeia

Arqueologia, Curiosidades, Idade Antiga O pão carbonizado de Pompeia
* Por Talita Lopes Cavalcante


Na madrugada de 79 d.C., o vulcão Vesúvio entrou em erupção, varrendo Pompeia do mapa. Após a fatalidade, toda a cidade, bem como seus vestígios, ficou enterrada sob as cinzas e lavas, sendo apenas redescoberta 17 séculos depois.

Pão encontrado nas ruínas da cidade de Pompeia. Foto: © Fotografica Foglia (Naples)/ Museo Archeologico Nazionale di Napoli.

Imortalizada após a erupção do vulcão Vesúvio em 79 d.C., Pompeia também deixou suas marcas através de pequenos aspectos da vida de seus cidadãos àquela época. Além dos corpos petrificados e de toda a estrutura arquitetônica da cidade, também ficou intacta uma gama de objetos.

Murais, esculturas em bronze, paredes em mármores, joias, móveis e alimentos foram encontradas durante as escavações que ocorreram no século XIX, contando um pouco mais sobre os costumes e a vida naquela época.

Estando localizada na Baía de Nápoles, na Itália, Pompeia fora construída aos pés do monte Vesúvio e abrigava cerca de 20 mil pessoas. Na madrugada do dia 24 de agosto de 79 d.C., Pompeia e as cidades vizinhas — Herculano e Estábias — mal tiveram tempo de agir, quando foram engolidas por uma grande quantidade de fumaça e cinzas de temperaturas elevadas.

Aquela erupção fora a mais violenta já registrada na história de erupções do monte Vesúvio, não deixando muitas chances de escapatória aos cidadãos. Cerca de dezessete séculos depois, a lendária cidade finalmente foi redescoberta abaixo de uma grande quantidade de rochas vulcânicas, desencadeando uma nova onda de entusiasmo pelo estudo dos costumes na Antiguidade.

O pão da foto, encontrado em um forno em Pompeia, é um retrato do costume da época, mostrando o tipo de pão que era consumido e a importância que tal alimento possuía na alimentação dos cidadãos, que o consumiam na maioria das refeições.

Referência:
– “Pompei: Life on the Volcano“. The Kunsthalle of the Hypo Cultural Foundation.